Archive

Archive for agosto \28\UTC 2010

Palavra para “ministros”, “pastores” e “apóstolos”

E você se pergunta: Quem é ele para dirigir-se aos enviados do Senhor? E eu te respondo: Não vou com minhas palavras, mas palavras que o próprio Deus me dirigiu. Compartilho aqui, aquilo que recebo por revelação pela própria Palavra em momentos que você desconhece. Momentos de conflito interior e indignação por ver uma Igreja que deveria ser imaculada e Santa, suja, a começar do altar.

O que é que você faz no altar, rapaz? Tantas vezes eu faço essa pergunta mentalmente quando algum pastor ou ministro fala comigo, e me espanta seu vocabulário e jeito de se comunicar. Quando vejo uma falta de testemunho pelas ruas da cidade do tal sujeito! Não procuro saber da vida alheia, certo dia um pastor, que se diz muito pastor, quase caiu de sua bicicleta olhando minha amiga que caminhava comigo. Você acha que devo acreditar que o fulano orava intensamente por ela pela sua calça jeans demoníaca?

O título de pastor não basta mais, outros já não querem ser chamados de irmãos porque são ministros! Alguns adotaram os títulos como nomes, e seu nome de RG como sobrenome! Não é de se admirar que quando surgiu o “Apóstolo” e “Bispo” muitos correram para a fila para logo assinarem como tal. Não julgo a Igreja de Jesus, não separo a Igreja de Jesus! Só sei que muitos que dizem “Senhor, Senhor…” não fazem parte dela.

Alguns se espantam ao ouvir que chamo de irmão pessoas da Igreja católica. Outros acham absurdamente loucura que eu simplesmente converse uma conversa amigável com católicos. Pastores, apóstolos, ministros, bispos, se indignam quando mostro o trabalho social do meu ministério! “Não são dignos para estarem aí!” muitos gritam comigo!

O que dizer de você? Você diz que é “evangélico”, confia na doutrina de seu ministério e se orgulha do Deus que você adora. Você sabe o que Deus quer que você faça e aprende na Palavra a escolher o que é certo. Você tem a certeza de que é ‘guia dos cegos’, ‘luz para os que estão na escuridão’, ‘orientador dos que não têm instrução e professor dos jovens’. Você está certo de que encontra na doutrina a apresentação completa do conhecimento e da verdade. Você, que ensina os outros, por que é que não ensina a você mesmo? Se afirma que não se deve roubar, por que é que você mesmo rouba? Se você diz que não se deve cometer adultério, por que é que você mesmo comete adultério? Você odeia os ídolos, mas rouba as coisas dos templos.

Me sigam: www.twitter.com/trickmoreira

PS: Não generalizei, existem sim líderes especiais, que buscam fazer a vontade do Senhor, como os meus líderes. Escolho ser protestante.

Categorias:Estudos, Libertação

This little light of mine, I gonna let shine!

“Luz do mundo, viestes a Terra, pra que pudesse Te ver…”

Incontáveis vezes postei esse trecho da canção “Vim para adorar-Te (Here I am)” Jesus, filho de Deus veio como homem para que pudéssemos vê-lO, para que aprendêssemos com Ele a maneira de viver uma vida santa, e mostrando que é possível fazê-la! Luz do mundo… Ele foi a Luz, que veio para iluminar nossos caminhos, que nos trouxe direções e respostas…

A Bíblia nos auxilia a andar na Luz, que é Deus. Andar na luz não significa não pecar, andar na luz significa pecar e praticarmos a Verdade dizendo: Pequei, perdão. Fazendo com que a Verdade do Evangelho esteja em nós, e permaneça. Andando na Luz, e permanecendo na Luz. Precisamos adorar ao Senhor sendo fiéis a Ele – a Luz que seguimos – sendo fielmente verdadeiros a Ele. Como Pai, Ele quer ouvir de nós.

A nossa alegria é pregar Jesus com nossas atitudes. Tendo bom testemunho e amando todos os que nos amam, nos odeiam e nos invejam. Sendo luz! Deus é luz, e não pode conviver com o pecado, nEle não há sombra de variação. A luz invade o escuro. O escuro não invade a luz. O limpo invade o sujo, mas o sujo invade o limpo. Vigiar é preciso, mas amar excessivamente o outro também.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” 1 João 1:9

Cristãos devem ser luzes em cima dos montes.

Cristãos devem ser luzes em cima dos montes.

Promessa de II Crônicas 7.14

Compartilhando um pouco do que o Senhor tem feito na vida espiritual daqueles que O adoram na Igreja Mundial Templo da Fé.

Ontem, eu fui ao que chamo de Intercessão pela primeira vez. Um grupo de pessoas, que livremente vão até a Igreja, com a consciência de que estão lá para um propósito: orar e buscar a vontade de Deus. Cerca de 10 pessoas se reuniram naquela noite de sábado, e com as mãos dadas, louvando ao Senhor iniciaram aquela reunião tão importante. Eu era uma delas. Oramos juntos e depois nos posicionamos na igreja. Algo que percebo enquanto escrevo essas linhas, foi que cada um teve um posicionamento geográfico profético. O pastor e um diácono ficaram no altar, algumas pessoas na frente, e outras no fundo. Cada um, de um lado. Depois que se deu inicio, outra pessoa chegou, e ficou no meio da Igreja.

Naquele momento especial de oração, eu pude sentir que uma unção liberou, e o que nunca fiz, pude fazer. Tenho um receio em orar alto, porque algumas pessoas se importam no que eu oro, e provavelmente iriam se esforças para escutar. Não me importei, e orei o mais alto, liberando aquela unção que me ocorria no momento. Meu pastor entregou-me os nomes que estavam no caderno de oração, li todos, e orei por aqueles nomes. O Senhor me fez lembrar de um versículo interessante: “Então, se o meu povo, que pertence somente a mim, se arrepender, abandonar os seus pecados e orar a mim, eu os ouvirei do céu, perdoarei os seus pecados e sararei sua terra.” (II Crônicas 7:14). Conheço esse versículo, e ele me martelava, larguei os nomes e me arrependi dos meus pecados, então retornei a orar para os nomes. Uma coisa que nunca tinha me passado pela cabeça, é que de certa forma aquelas pessoas se alimentam do que eu ministro ali, fazem parte da minha terra. Então, foi que um amor tão grande senti, chorei. Nunca choro nem pela minha família, devia ser uma opressão não chorar, todos precisamos. Chorei e senti um amor muito grande por aquelas vidas.

Mais tarde, meu pastor no altar ligou o teclado, e começou a ministrar com seu instrumento. Me deu uma vontade imensa de cantar aquela canção. “Eterno Rei, exaltado nas alturas, glorioso no céu. Humilde vieste a Terra que criaste, por amor pobre se fez”. Abri a Bíblia em Crônicas 7 impulsivamente, obedeci ao instinto apenas para dar uma olhada no versículo que o Espírito Santo havia ministrado em mim. Encontrei uma promessa, tão real, que me emocionei muito lendo, não acreditava no que lia! Fui direto ao versículo, foi então que li:

“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. Estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar. Porque escolhi e santifiquei esta casa, para que nela esteja o meu nome perpetuamente; nela, estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias.” II Crônicas 7:14-16

Aleluia! Não tinha noção de que viria isso pela frente nesse capitulo! Não conhecia o capítulo, apenas o versículo. Foi então, que comecei a me lembrar de quando recebemos aquele salão, fomos orar e ungir com óleo o salão. Aquele lugar, a partir daquele momento, passava a ser do Senhor Jesus. Me arrepiei todo lendo aqueles versículos.

Chegando em casa, extasiado pela glória que foi, fui ler todo o capítulo e gostaria de ressaltar alguns versículos que me fizeram dar muitas glórias a Deus:

“Tendo Salomão acabado de orar, desceu fogo do céu e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do Senhor encheu a casa. Os sacerdotes não podiam entrar na Casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha enchido a Casa do Senhor. Todos os filhos de Israel, vendo descer o fogo e a glória do Senhor sobre a casa, se encurvaram com o rosto em terra sobre o pavimento, e adoraram, e louvaram o Senhor, porque é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” II Crônicas 7:1-3

A glória encheu! Sacrifícios de louvor no inicio, e a glória encheu aquele lugar. Pela graça de Jesus, podíamos entrar no “Santo dos santos” e adorar, a fumaça que nos escondia era nossa adoração, nosso louvor, nossa rendição, nossa insistência em adora-lO na hora da angustia, era nosso arrependimento, era nosso perfeito sacrifício de louvor.

“Assim, o rei e todo o povo consagraram a Casa de Deus. Os sacerdotes estavam nos seus devidos lugares, como também os levitas com os instrumentos músicos do Senhor, que o rei Davi tinha feito para deles se utilizar nas ações de graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre.” II Crônicas 7:6

Lembrei-me do meu pastor tocando aquelas notas, e eu, somente eu cantando bem alto. Foi profético, eu sou o ministro do louvor, e estava adorando ao Senhor sozinho com minha voz cantando aquela canção, todos os outros oravam, como se estivessem intercedendo para que minha adoração chega-se, para que nada pudesse me impedir. Estava ali para adorar, dando graças ao Senhor.

O Senhor Jesus abrirá nossos olhos espirituais para que vejamos o que fazer, agora me preparo para ir ministrar, e me sinto como no início, tomando banho pensei “parece aqueles primeiros dias de culto”, e agora escrevendo o texto, me lembrei daquela promessa, o Senhor estaria renovando e tomando para Ele aquele lugar, que Ele mesmo escolheu para que o povo que se chama pelo Seu nome se humilhe, ore, busque Sua face.

O primeiro chamado específico de Deus para você!

Uma coisa que as pessoas se preocupam muito é: Para que fui chamado? Depois de conhecer Jesus, participar da Igreja, as pessoas começam a ver que existem camadas na Igreja, e ela quer começar a participar de camadas mais elevadas – nem sempre – a fim de serem vistas. Falo de “camadas”, porque somos um corpo acima de tudo, precisamos estar em unidade, correto?

Algumas querem rapidamente saber seu chamado para cumprirem o propósito de Deus, buscam para saber o que o Senhor quer delas. Se não houver uma resposta, elas certamente ficarão tristes e desapontadas. Outras miram num alvo, e oram com muito jejum para que esse alvo seja alcançado. Esse ainda não é o correto. Essa pessoa quer que a vontade dela seja a vontade de Deus, completamente errado!

O seu chamado específico é de ser discípulo. É de ter uma vida santa se espelhando em Jesus. Muitos se espelham em homens, e é a mesma coisa que colar numa prova que você não sabe absolutamente nada a respeito da matéria avaliada. Se o outro erra, você erra também e vai para o mesmo buraco.

Você se pergunta: Por que viver uma vida santa se quando aceitei a Jesus, o pastor disse para ir da maneira que eu estava que Ele me aceitava? Por que se onde o pecado abundou, superabundaria a graça? Leiam o seguinte texto, rapidamente:

Portanto, o que vamos dizer? Será que devemos continuar vivendo no pecado para que a graça de Deus aumente ainda mais? É claro que não! Nós já morremos para o pecado; então como podemos continuar vivendo nele? Com certeza vocês sabem que, quando fomos batizados para ficarmos unidos com Cristo Jesus, fomos batizados para ficarmos unidos também com a sua morte. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova.

Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele. Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado. Pois quem morre fica livre do poder do pecado. Se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. Sabemos que Cristo foi ressuscitado e nunca mais morrerá, pois a morte não tem mais poder sobre ele. A sua morte foi uma morte para o pecado e valeu de uma vez por todas. E a vida que ele vive agora é uma vida para Deus. Assim também vocês devem se considerar mortos para o pecado; mas, por estarem unidos com Cristo Jesus, devem se considerar vivos para Deus.

Portanto, não deixem que o pecado domine o corpo mortal de vocês e faça com que vocês obedeçam aos desejos pecaminosos da natureza humana. E também não entreguem nenhuma parte do corpo de vocês ao pecado, para que ele a use a fim de fazer o que é mau. Pelo contrário, como pessoas que foram trazidas da morte para a vida, entreguem-se completamente a Deus, para que ele use vocês a fim de fazerem o que é direito. O pecado não dominará vocês, pois vocês não são mais controlados pela lei, mas pela graça de Deus.

Sabe de onde tirei esse texto? Bíblia! Romanos 6. Todas as respostas que você precisa, têm lá (Bíblia)! Se vivemos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Meus dedos doem porque estou digitando do celular, apesar de ser um smart, os dedos doem! Um breve pensamento, é claro que a passagem bíblica, copiei e colei, mas o resto foi tudo escrito assim, rss.

Se vivemos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?

Sonhos pecaminosos

Penso seu, ser extremamente normal, adolescentes como eu, terem seus sonhos molhados e isso não é ruim. Já que evangélicos não se masturbam e não iniciou sua vida sexual, para que o sêmen não fique acumulado (podendo dar problemas na próstata) no corpo durante muito tempo. Mas, o problema é quando isso se torna realmente, uma “vida sexual ativa” e extremamente pecaminosa.

Converso muito pouco sobre o assunto com meus amigos e com qualquer outra pessoa. Mas com minhas experiências de vida nesse assunto, posso afirmar sem dúvidas: Sonhos com sexo atrapalham nossa vida espiritual. Depois do primeiro sonho, você se lembra dele com frequência durante do dia, isso é pornografia. As pornografias, os sonhos eróticos que você faz questão de ter novamente, estupram sua mente.

Ter o sonho, fazendo sexo com pessoas diferentes, faz você achar que tem uma vida sexual, o sonho é muito real, e às vezes você até sabe que é sonho, por isso, não há limites no escândalo, e não há lugares que você não pode praticar o que está “lá” pra fazer. Quando acorda toma muito cuidado para não abrir os olhos completamente, ou se levantar para não dispersar do sonho. Você consegue fazer com que o sonho volte, porque não é um simples sonho. O diabo quer que você viva em função disso. Você não vê diretamente a pornografia, não se masturba, mas faz questão de chegar em casa à noite, dormir, e ter esses sonhos e experiências.

Você pode até achar loucura, mas isso acontece, e se você não tomar uma atitude, o seu relacionamento com o Senhor será perdido, você estará longe, não sabendo a distância. Você começa a viver em função disso, têm até medo de orar antes de dormir com medo de que sua oração seja atendida e você não tenha mais esses sonhos. Isso acontece, é muito mais comum do que você pensa.

Você pode controlar os sonhos, não permita que isso vá longe demais. Você pode estar não só sonhando, mas saindo do seu corpo, e fazendo isso com outros “corpos espirituais”. Se você não acredita nisso, só peço que ore para que esses sonhos parem. É possível menino, você não ter problemas na próstata, isso não é desculpa para se masturbar, porque ao se masturbar você não vai pensar nisso. Também não precisa de sonhos eróticos para fazê-lo. Vejo relatos de pessoas que acabaram com seus casamentos por conta disso, pessoas que se apaixonaram perdidamente por pessoas casadas, e acabaram com casamentos, e com suas vidas.

Categorias:Estudos, Libertação

Parabéns Templo da Fé!

Oi gente,

Nesse sábado, foi o aniversário do Templo da Fé, e aconteceu um culto especial para celebração de dois anos do ministério. A celebração começou as 18h30, e começamos com Preciso de Ti, clássica que não poderia faltar. Senti que deveríamos começar assim mesmo. Para iniciar, o pastor deu as boas vindas, e iniciamos com essa canção, e depois dela, uma longa oração para que nada pudesse nos impedir de adorar ao Senhor naquela noite tão especial. Depois, fomos para “Tempo de Festa”, nunca tínhamos cantado, mas a igreja recebeu muito bem a música (risos)! O quebrantamento chegou quando cantamos “Vim para adorar-Te, vim para prostrar-me, vim para dizer que és meu Deus”. As pessoas entenderam o porque de ir ali, e que Deus faria muito mais naquela noite!

O louvor foi fluindo super bem. Um dos melhores momentos foi a ministração de “Serás sempre Deus” que foi o estopim para que todos se rendessem a Jesus, apesar de dores e medos! “Águas Purificadoras” quem tomou a frente foi a Julia, voz ungidíssima! Depois oramos e foi um dos momentos mais especiais também. Naquela hora o Senhor me deu direções específicas mesmo, do que orar e ministrar para aquelas pessoas: o pecado. Sobre a insistência em errar o alvo, pedir perdão, mas não se purificar e renovar o contato com Deus diariamente, e perder o controle novamente. Corações frios que não se abriam para o Senhor Jesus, eu sei que foram restaurados durante aquela canção.

Chamei todas as crianças à frente, elas iriam também apresentar uma canção. Na quinta, eu tinha feito uma visita pra elas, e gravado alguns testemunhos, vários! No inicio, tive que trabalhar muito com elas pra se soltarem e falarem comigo para compartilhar sobre o que Deus tem feito em suas casas. Depois, elas se soltaram e se animaram para testemunhar! Chamei-as, e cantei “Teu amor me desfaz l Teu amor me refaz l Quebra tudo e faz de novo l E de novo l Teu amor me refaz”, depois soltaram os testemunhos delas, e como foi lindo! Testemunhos intensos e verdadeiros, Deus usa realmente as crianças!

No final, cantamos “Apocalipse 4”, com “Canção do Apocalipse”. Foi lindo, houve também uma boa receptividade com essa canção. Vários países já cantam essa canção, e foi a vez do Templo da Fé cantar também.  Depois, tivemos uma participação super especial de Beth Rocha, minha professora de canto, que é uma benção! Ela é muito especial para mim! Quando ela ministra, nós vemos Jesus nela, é muito bom ouvi-la cantando e ministrando. Fechamos aquele tempo assim, todos extasiados pelo Senhor, e com muita fome, comemos muito depois. Eu não comi lá, mas cheguei em casa, depois que diminuiu a adrenalina, eeeeeeeeeita!

Fariseu do século XXI – Parte 2

Eu tenho feito muitas reflexões a respeito desse assunto, recebi muitas criticas no twitter e no meu e-mail, e resolvi escrever mais sobre o assunto.

Uma coisa que não ficou tão clara no post anterior referente a esse assunto, é a pessoa fazer questão de demonstrar sua falsa santidade. Obviamente não mostra o lado “falso”, é como se realmente fosse uma santidade puríssima, mas com isso, deixa de ser.

Preferi tirar um trecho bíblico para demonstrar o que quis dizer. Acredito fielmente que a cada palavra na Bíblia, o Senhor nos quis mostrar algo, e eu sempre descubro coisas novas ao reler uma passagem. Leia o trecho abaixo:

“Quando chegou perto de Simão Pedro, este lhe perguntou: – Vai lavar os meus pés, Senhor? Jesus respondeu:  Agora você não entende o que estou fazendo, porém mais tarde vai entender! – O senhor nunca lavará os meus pés! – disse Pedro. – Se eu não lavar, você não será mais meu discípulo! – respondeu Jesus.” João 13:6-8

Pedro demonstrou certa revolta ao ver seu Senhor fazendo um trabalho tão baixo como aquele, Ele não deveria fazer aquilo! Trago isso para os dias de hoje, as pessoas que servem muito, também abrem uma brecha se a soberba crescer em seu coração. “As pessoas precisam de mim”… Na verdade, as pessoas não precisam de você exatamente. Você é usado por Deus, mas Ele também não precisa de você. Para uma pessoa, que deixa isso render soberba para o seu coração, faria a mesma coisa que Pedro fez! Teria a mesma reação:

“O senhor nunca lavará os meus pés!”

Não digo que Pedro era soberbo, mas podemos trazer isso para nosso dia-a-dia. A pessoa que é acostumada a servir os outros, e ter uma posição, um status por isso, ela – sem Jesus – não quer que as outras pessoas pensem – descubram – que ela precisa ser servida também em algumas áreas, e logo se negam. Mas leia:

“– Se eu não lavar, você não será mais meu discípulo! – respondeu Jesus.” João 13:8b

Preciso dizer mais alguma coisa?

@trickmoreira

Categorias:Estudos
%d blogueiros gostam disto: