Archive

Archive for abril \27\UTC 2011

Árvores de fruto mau

“Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.” Mateus 7:19

Na Palavra muitas vezes somos comparados à árvores, pois são elas que dão frutos ou não. Neste capítulo temos a percepção do que são os bons e os maus frutos e gostaria de compartilhar um entendimento meu acerca disso neste capítulo:

Não julgueis, para que não sejais julgados.”

Ninguém tem a capacidade de admitir que julga o outro porque sabe que isso é errado. Damos outros nomes: crítica construtiva, ajuda… Dizemos que não é julgamento mas quando falamos que o que o outro faz é errado e o que “você recebeu de Deus” é o certo, é julgar. Dizer que daquela forma não é a correta, é julgar. Julgar traz maus frutos.

“…e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?”

Julgamos de acordo com o que achamos que é o certo e não com o que fazemos realmente. Geralmente ouço críticas em cima do que fulano fez em cima do que cicrano fez e me cobram uma postura igual/melhor do que a deles. Julgam o próximo comparando até mesmo com a perfeição de Jesus. É errado. Se você assim o faz, será cobrado de você também! Paremos para ver o que tem de errado em nós para nos preocuparmos tanto com o que o outro faz.

“…como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?”

Clássico: sujo falando do mal lavado. Você não pode ser como hipócrita querendo conduzir sendo cego e levando multidões ao abismo, porque é isso que você faz se tem a trave e tenta tirar o argueiro do outro, certamente você não o fará corretamente.

“Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.”

Para finalizar, gostaria de compartilhar uma coisa que aprendi: os bons frutos nem sempre são os frutos que podemos ver ou julgamos ser bons.

“Não julgue o oprimido e nem diga que é castigo, só Deus sabe e pode se pronunciar”

Categorias:Uncategorized
%d blogueiros gostam disto: